Instituição de Ensino

Publicado: Wednesday, 03 April 2019 12:20 , Acessos: 1988
O curso de especialização em Ensino de Ciências “Ciência é Dez” é oferecido por instituições públicas de ensino superior (IPES), como Institutos e Universidades Federais, Estaduais e Municipais, credenciadas pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/CAPES.
Informações básicas referentes ao Curso de Especialização “Ciência é Dez” podem ser encontradas no link: http://www.capes.gov.br/uab/cursos-nacionais/ciencia-e-10.
O sistema UAB está detalhado no link: http://www.capes.gov.br/uab/o-que-e-uab.
O “Ciência é Dez” pretende complementar a formação de profissionais, em nível de especialização, no ensino de Ciências, de modo a garantir o direito à aprendizagem e a realização do projeto político-pedagógico da escola. Tudo isso a partir de um ambiente escolar que favoreça o desenvolvimento do conhecimento, da ética e da cidadania.

Ao oferecer ferramentas que contribuem para uma ação dinâmica do professor, este estará apto ao enfrentamento dos desafios diários de suas escolas e salas de aula. O curso também irá reforçar a compreensão de que o ensino e o aprendizado em ciências é muito mais do que o acúmulo de informações a serem expostas e retidas: a disciplina é surpreendente, instigante e desafiadora.
O curso “Ciência é Dez” foi construído a partir de um eixo norteador que é o de redimensionamento da prática docente em ciências – dentro e no entorno das situações cotidianas das salas de aulas da disciplina –, e que envolve todo o curso. Está, ainda, estruturado em quatro eixos temáticos: Vida, Ambiente, Universo e Tecnologia. O curso atende a uma carga horária total equivalente a 480 horas, divididas em três módulos distintos: Módulo 1 (150h), Módulo 2 (240h) e Módulo 3 (90h). O primeiro Módulo distingue-se dos outros dois por apresentar disciplinas (quatro no total) em uma sequência cronológica. Assim, o professor-cursista contextualizará as dinâmicas às necessidades do trabalho cotidiano em suas salas de aula de ciências a partir de ações teórico-práticas.

Os referenciais teóricos, o aprofundamento de conteúdos e a continuidade sistematizada das ações em sala de aula são desenvolvidos no Módulo 2, que é concluído com a proposta de projeto de ensino por investigação de cada professor. Durante o terceiro Módulo, são realizadas a execução e a discussão dos resultados do projeto, que se encerram com a defesa do Trabalho de Conclusão do Curso (TCC).
O curso de especialização “Ciência é Dez” tem uma abordagem de ensino por investigação, que valoriza a elaboração de perguntas e de questões-problema.
A proposta metodológica do “Ciência é Dez” permite que o perfil do curso se defina pela dinâmica de cada aplicação. Ou seja, durante o desenvolvimento das disciplinas, os contornos do curso passam a ter as características do professor que o cursa, dos alunos desse professor, da turma, do polo, da equipe responsável e da instituição aplicadora. Então, cada oferta, quando concluída, terá sido resultado de uma construção coletiva de diferentes agentes e será, de fato, exclusiva para cada professor que o cursou. Isto destacará o papel protagonista que ele desempenha em sua própria formação continuada.
O curso de especialização em Ensino de Ciências “Ciência é Dez” tem carga horária total de 480 horas, dividida em três módulos: Módulo 1, “Para perguntar e experimentar, é só começar!”, com 150h; Módulo 2, “Para perguntar e responder, melhor saber!”, com 240h e Módulo 3, “Se é para experimentar, vamos fazer!”, com 90h. Prevê-se que essa carga horária seja cumprida em três semestres sequenciais (um por módulo) e que acompanhem simultaneamente os semestres do calendário letivo das escolas do Ensino Fundamental da região em que o curso está sendo ofertado.
As atividades do curso de especialização em Ensino de Ciências “Ciência é Dez”, assim como as de outros cursos ofertados pela Universidade Aberta do Brasil (UAB) da CAPES, são semipresenciais. Há atividades online em ambiente virtual de aprendizagem (AVA) da plataforma Moodle, e há, também, atividades presenciais nos polos, mas que são preferencialmente agendados em finais de semana. Ainda estão previstos encontros presenciais entre alunos, formadores e pesquisadores ao final dos módulos. Com isto espera-se que os resultados do desenvolvimento dos Trabalhos de Conclusão de Curso sejam compartilhados e discutidos.
A estrutura dos módulos, as salas de disciplinas, as atividades, as ferramentas e os recursos didático-tecnológicos estão organizados no ambiente virtual de aprendizagem (AVA). Esta encontra-se da plataforma Moodle do curso “Ciência é Dez!”, alinhada ao projeto pedagógico do curso.

No entanto, a IPES tem campos para a inserção de elementos que apresentem a articulação entre o Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI) e o Projeto Pedagógico Institucional (PPI). Assim, sua missão e seu posicionamento em relação ao corpo docente, o seu processo de avaliação discente e o seu papel junto à sociedade ficarão claros.

De forma diferente ao que comumente se observa em cursos semipresenciais, os recursos didático-tecnológicos – representantes exclusivos dos conteúdos do curso – não são de autoria da equipe elaboradora do “Ciência é Dez”: estas, com raras exceções, como é o caso de um vídeo-motivador, são de terceiros. A intenção é de que as fontes de origem de tais recursos (textos de periódicos científicos impressos ou online, materiais e experimentos de centros de educação ou de divulgação cientificas, vídeos, jogos ou animações de redes educacionais acadêmicas, livros didáticos ou paradidáticos etc.) sejam (re)conhecidos e acolhidos como materiais de referência do cotidiano atual e futuro do professor-cursista.
O projeto pedagógico curso de especialização em Ensino de Ciências “Ciência é Dez” está disponível no Portal do Ciência é 10 e no portal da CAPES.
Sim, as IPES aderentes ao edital de chamada podem fazer alterações no projeto pedagógico nacional do curso (PPC), porém de forma restrita. Embora o PPC do “Ciência é Dez!” tenha matriz curricular nacional, há campos no projeto que permitem a inserção de elementos que reflitam a articulação entre o Projeto de Desenvolvimento Institucional (PDI) e o Projeto Pedagógico Institucional (PPI), de modo a explicitar sua missão e seu posicionamento em relação ao corpo docente, o seu processo de avaliação discente e o seu papel junto à sociedade.
O Programa UAB pretende, entre outros objetivos, oferecer uma formação de qualidade aos profissionais em regiões brasileiras carentes de cursos de graduação ou pós-graduação, principalmente, daqueles voltados à formação de professores ou gestores educacionais.

Dessa forma, cidades ou comunidades dessas regiões, que tiverem polos educacionais credenciados no Programa UAB, poderão ser parceiras das instituições de ensino superior na oferta dos cursos. Há polos UAB espalhados em todo o território nacional, porém, recomenda-se que para facilitar a mobilidade da equipe formadora, as parcerias sejam inter-regionais
O público-alvo do curso de especialização em Ensino de Ciências “Ciência é Dez” são professores da Educação Básica.
Não. Para cursar o “Ciência é Dez” não é preciso ter formação superior específica de Licenciatura em Ciências. É necessário que após ser selecionado pela Instituição Pública de Ensino Superior, no momento da matrícula, o aluno tenha formação superior completa e que sejam, preferencialmente, professores de Ciências na rede pública.
Sim, é possível. No Projeto Pedagógico do curso “Ciência é Dez” está sugerido certo número de vagas para alunos com características diferentes daquelas do público-alvo. Entretanto, essa definição é do âmbito da IPES ofertante. Caso a instituição considere válida a candidatura de profissional que não esteja atuando em sala de aula, essa condição deverá estar prevista no edital de seleção, assim como a descrição de qual suporte institucional o cursista, nessa situação, terá para cumprir as diversas atividades em sala de aula (previstas no curso).
Sim. Mas todos os materiais de estudo e de instruções de atividades do “Ciência é Dez” são baseados em recursos didático-tecnológicos disponibilizados online. Opcionalmente, materiais de consumo alinhados ao desenvolvimento de atividades prático-experimentais poderão ser adquiridos e distribuídos nos polos, caso a IPES os tenha incluído em sua proposta orçamentária de aplicação do curso à CAPES.
A emissão do certificado de especialização será da Instituição Pública de Ensino Superior (IPES) responsável pela oferta do curso no qual o aluno participou. Ao final do curso “Ciência é Dez”, o aluno que houver feito as atividades com resultado de avaliação igual ou acima do mínimo e concluído seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com aprovação, receberá certificação de título de Especialista na área de Ensino de Ciências, com reconhecimento do Ministério da Educação.
Compartilhe o que você leu